sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O baile encantado

Ilustração: de Anne - Soline Sintès

A janela estava entreaberta e o vento sussurrava vez por outra o nome da menina, que deitada na cama, em sono profundo, imaginava o dia de seu primeiro baile, que ainda estava por chegar... No sonho, depois de por toda noite esperar, enfim, o seu pretendente misterioso veio ao seu encontro, caminhando de um jeito estranho, silencioso sem nada falar...
Era inverno, mas naquele dia fez um calor intenso, e à noite a brisa que assoprava as cortinas da janela do quarto da menina, vinha do sul, trazendo junto algo mais.
Enquanto sonhava com o príncipe encantado, a menina quase moça, de repente pôs-se de pé a bailar pelo quarto, abraçada ao vento, mas de fato ela continuava sonolenta, de olhos bem fechados, tateando no espaço. Caminhava às cegas pelo quarto, depois pela sala, até que ainda de olhos bem fechados e bailando sem parar, abriu a porta da rua e foi em direção ao quintal da casa, de onde a voz de seu príncipe a levava como que por encanto.
Quando tudo se encaminhava para o final feliz, a voz rouca do herói despertou a menina, que de repente viu-se de pijama e chinelos em pleno quintal. Diante dela, no chão, um enorme sapo cururu, coachando sem parar, como quem pede algum favor... Ela o chutou para longe...
Assustada, a menina-moça correu para dentro de casa, trancando-se no quarto e jogando-se sobre a cama, chorando, sem pregar os olhos até o amanhecer, quando enfim de novo adormeceu...
No seu sonho profundo e continuado, o príncipe com o olho roxo, veio novamente ao seu encalço, guiado apenas pelo misterioso par de chinelos que ele encontrara na escadaria do baile, antes de a menina sumir por alguns momentos, na noite sem luar...

3 comentários:

Gabriela disse...

Coitado do príncipe sapo! Ê Zé mas você gosta de sonhos heim? Quase todos os seus contos ou são inspirados em sonhos, ou são sonhos, ou contém sonhos! xD

José Antonio Klaes Roig disse...

Oi, Gabriela. Pois é, amiga. Esse contos do R.E.M. , como o próprio título do blog indica é algo entre aquele estado do sono profundo e do despertar para a reealidade.... Um rápido movimento do olhar... E ultimamente ando sonhando acordado... Rssss Abração, querida. Zé.

Elis Zampieri disse...

Essa é marca registrada Gabriela. Ele não precisa nem assinar :-)
Legal rever esses seres fantásticos que povoaram nosso imaginário infantil nesse seu conto Zé.

Adorei.