terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Um caso Gramatical


Ele, sujeito simples
Artigo bem definido
Fazia um gênero assim, primitivo.
Ela, monossilábica solidão.
Procurando seu verbo de ligação.
Se encontraram, deu-se a conjunção.
Ela átona
Ele, um hiato silencioso
Mas era fato, estava posto
Mera análise sintática
Do seus pretéritos tão imperfeitos
Para o seus períodos compostos.

(...)

E o futuro
Estava escrito
E nas letras
A explicação
Da semântica existencial
Uma aliança selada
Um complemento nominal.
Por amor e concordância
E não havendo nada a mais
Uniram em cerimônia
suas sílabas bilabiais.
E seguem assim, juntos
Para o verbo amar
Até o infinito conjugar.

2 comentários:

José Antonio Klaes Roig disse...

Oi, Elis, mais uma imagem que achei que se adapta a tua postagem. Pois como eu já escrevi em poema: Há uma estranha geometria nas palavras e uma gramática nos números", ou algo similar. Enquanto não conseguimos algupem para ilustrar as postagens, vamos um ilustrando a do outro. Achei essa imagem no endereço abaixo. Um abração.
http://edusuami.criarumblog.com/Primeiro-blog-b1/Out2008-b1-m200810.htm

camila disse...

Adorei a poesia! Ficou muito criativo!