sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Nunca mais


Imagem: http://miniminimos.blogspot.com

Ela estava certa disso: Nunca mais viveria aquilo outra vez.
Ele explicou: Bom, eu acho nunca mais uma palavra forte demais para ser dita.
Ela achou que entendeu: Ta bom! Nunca mais falo.

2 comentários:

Gabriela disse...

hahahaha Bom, tirando o caráter cômico do texto, Nunca mais é mesmo muito forte mas todo mundo fala, sem pensar ou pensando.... hsauhsauhsuhua Nossa fui a primeira denovo, há mais de uma semana não conecto a internet pra fazer uma limpa nas postagens novas dos blogs e tô aproveitando porque amanhã posso acordar 9 horas!

José Antonio Klaes Roig disse...

Elis, um miniminimo texto, que flerta com a ironia e o estranhamento, que busquei justamente num fantásticoblog, chamado Miniminimos (http://miniminimos.blogspot.com), uma imagem para ilustrar e também brincar com as diversas possibilidades daquele final... Deixo, como na imagem, e como todo bom escritor deveria fazer (como você bem o fez), a porta entreaberta há diversas interpretações...
Como dizia o nosso saudoso Paulo Freire: "Educar é ter a consciência do inacabamento...". Usando suas palavras para a literatura, digo: "Escrever é ter a consciência do inacabamento, pois quando o autor encerra seu texto, deve deixar a porta entreaberta para o leitor fazer sua viagem pela imaginação.
Que belo exercício literário em tão poucas palavras. Estás ficando cada dia mais criativa e original, amiga. Que bopm poder contar com tua amizade e parceria neste blog literário e colaborativo.
Um abração e bom fim de semana. Zé.